Amostra de um estudo de mercado. Calcule e defina sua base amostral

Redacción 6m de leitura

Selecionar uma amostra de um estudo de mercado é o primeiro passo para obter resultados confiáveis. Quanto maior for a população consultada, mais confiáveis serão os dados de nossa análise; portanto, o ideal seria realizar o estudo em toda a população. Como isso não é possível, selecionamos um subconjunto da sociedade, o que é conhecido como amostra de um estudo de mercado.

Amostra de um estudo de mercado e base amostral

A amostra de um estudo de mercado é uma parte da população selecionada e deve ser válida, adequada e representativa da população como um todo. Através de uma amostra representativa da sociedade, a pessoa responsável pelo estudo pode ter uma ideia das opiniões da população, o que é conhecido como extrapolar os resultados, sem a necessidade de investir a grande quantidade de dinheiro que seria necessária para realizar um estudo de tais dimensões.

Tornar a amostra de um estudo de mercado válida não é tarefa fácil; mas na We are testers, temos soluções para suas dúvidas. Para que a amostra seja extrapolável, ou seja, para que as conclusões tiradas da amostra possam ser aplicadas à totalidade da população, a proporção desta deve ser maior ou menor, dependendo de vários fatores, como as técnicas utilizadas para selecionar a amostra, a variedade de perfis da população e outras variáveis que explicamos a seguir. O tamanho da amostra é chamado de base amostral.

Fique atento!

 

Tipos de amostra de um estudo de mercado

Dependendo das técnicas utilizadas para selecionar a amostra, teremos amostras probabilísticas ou aleatórias e amostras não probabilísticas, direcionadas ou por julgamento.

A amostra probabilística ou aleatória

As amostras probabilísticas são aquelas em que todos os elementos da população têm as mesmas chances de serem escolhidos. A amostragem probabilística é realizada por meio de ferramentas estatísticas, que usamos na We are testers. Em princípio, se a amostra for aleatória, haverá mais segurança de que as características mais representativas da população estejam representadas.

A amostra não probabilística, direcionada ou por julgamento

As amostras não probabilísticas são aquelas em que a escolha dos elementos da amostra não depende da probabilidade; mas sim de quem realiza a amostra ou dos critérios da pesquisa. A amostragem não probabilística é usada quando a pessoa encarregada da pesquisa conhece as características da população e sabe quais perfis são do seu interesse para a amostra, dependendo dos objetivos da pesquisa.

Painel de acesso a amostras para estudos de mercado

Na We are testers, temos um painel de consumidores com mais de 120.000 testadores, com diversas características sociodemográficas e socioeconômicas, segmentados por mais de 400 critérios; o que nos permite obter amostras de estudos de mercado com perfis de consumidores gerais ou nichos específicos usando os critérios de segmentação disponíveis. Os mais de 400 critérios de segmentação estão divididos em categorias (‘Sobre mim’, ‘Compras’, ‘Casa’, ‘Tecnologia’…) que nos fornecem informações completas sobre o perfil dos consumidores. Dentro de cada categoria, temos uma grande variedade de critérios específicos, desde a situação profissional até a pessoa responsável pela tomada de decisões de compra.

Além disso, realizamos estudos a nível internacional, com a capacidade de realizar pesquisas em mais de 80 países.

 

Amostragem estratificada e amostragem por cotas

Seja uma amostra aleatória ou não aleatória, é de grande importância dividir a população em diferentes estratos ou segmentos para torná-la o mais representativa possível; principalmente se a população for grande. Com base nas características do estudo, será interessante dividi-la em um ou mais segmentos de forma proporcional.

Dependendo se a seleção for aleatória ou não, a amostragem será estratificada ou por cotas. Na amostragem estratificada, os sujeitos são escolhidos aleatoriamente dentro de cada estrato; enquanto na amostragem por cotas, a seleção não é aleatória e depende de quem realiza o estudo. Em termos de possibilidade de extrapolação, a amostragem estratificada é mais recomendável, onde a escolha dos sujeitos é aleatória.

A amostra de um estudo de mercado pode ser segmentada em uma variedade de estratos – por sexo, idade, nível de educação, renda e muitos outros – e em proporções muito diferentes, dependendo dos objetivos do estudo. Com base nos objetivos da pesquisa, na We are testers oferecemos as melhores recomendações para escolher uma amostra de estudo de mercado eficaz.

 

Cálculo do tamanho da amostra de um estudo

O tamanho da amostra de um estudo de mercado ou base amostral necessária depende das necessidades da pessoa que realiza o estudo; mas há certos fatores a serem considerados em qualquer tipo de análise de mercado.

1º O nível de confiança (confidence level) ou risco que estamos dispostos a aceitar de estar errados.

2º A variância ou diversidade de opiniões estimada na população (response distribution):

Indica o quão variadas se espera que sejam as respostas. Geralmente, parte-se do pressuposto de que a variância é igual a 50%; o que significa que a população tem a opinião mais variada possível, ou seja, metade responderia sim e a outra metade responderia não.

3º A margem de erro que estamos dispostos a aceitar (margin of error).

4º O tamanho da população (population size).

Depois de selecionar as variáveis do nível de confiança, variância, margem de erro e também o tamanho da população, procede-se a um cálculo matemático para identificar a amostra mais adequada.

 

Margem de erro de um estudo de mercado

Um fator a ser considerado ao calcular a margem de erro aceitável é que ela não diminui proporcionalmente; a margem de erro diminui de forma exponencial.

Em outras palavras, quanto maior o tamanho da amostra de um estudo de mercado, menor será a margem de erro. Para que a margem de erro seja zero, o tamanho da amostra deve ser equivalente ao da população real. No entanto, em um certo ponto, a diminuição da margem de erro não será significativa, mesmo que o tamanho da amostra aumente.

Além disso, dependendo se os dados serão analisados na íntegra ou por cotas, a margem de erro será diferente. Ao dividir o tamanho da amostra pela metade, por exemplo, a amostra é reduzida pela metade; ou seja, se o tamanho da amostra fosse de 2000 pessoas, ele seria reduzido para 2000 pessoas a 1000. Portanto, o tamanho da amostra deve ser ajustado à situação de cada caso.

 

Deseja realizar um estudo de mercado e não sabe por onde começar? Precisa escolher a amostra de um estudo de mercado adequadamente? Quer calcular o tamanho da base amostral necessário? Entre em contato conosco através de nosso formulário de contato.

Vamos conversar?

Data de atualização 22 diciembre, 2023

Entre em contato com os nossos especialistas e descubra como levar a sua pesquisa mais longe.

Contatar